IAE - 3

domingo, 27 de abril de 2014

Da religião

Perdoa nossos defeitos,
Segue o gozo derradeiro.
Que a amnésia do insignificante envolva-nos no que conhecemos


Dando ouvidos à realidade.
 Afago.
Peito.
 Valor do Terreno.


N'alma impurezas mantém-se,
Mudar não seria seria pleno
A cada investida tua, afogo-me em desejos ternos.

Resigno a existência em máximas pra que a verdade confesse:
Adorar arder quando vens,
Precipitas e aparece.

As mulheres diriam que sou submissa, amor...
Infeliz,
Não nego o gênero da espécie.

-Diotima Renard

0 comentários:

Postar um comentário

Nenhum comentário que contenha fundo preconceituoso será aceito!

Tente, de preferência, não comentar no anonimato :D

Obrigada pela sua opinião =)

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t