Watchmen!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010



"... Come gather round people wherever you roam and admit that the waters around you have grown..."


Não sei dizer se Alan Moore se inspirou em Fat Man e Little Boy para o “high point” fundamental ao desenrolar do enredo de Watchmen, não posso afirmar isso. Afinal, faz dias que ele não passa aqui em casa pra tomar uns mates. Aí fico na dúvida e com medo de cometer um grave equívoco misturando a história japonesa com o enredo do HQ.
Vamos esclarecer isso. Watchmen, pra mim é um dos melhores HQs (Graphic Novels) da história. É inteligente, “visionário”, encantador... Um aglomerado de política, amor, ódio, violência, moralismos, filosofia, guerra e principalmente o lixo que é o ser humano... Nos diálogos são citadas verdadeiras “crônicas”.




Bom, além de tudo, das referências e da idéia genial sobre a sociedade alternativa em 1985, Alan Moore criou uma história baseada na vida de super heróis. Como seria a real vida de pessoas com poderes? A aceitação, a política, as leis... É impressionante como tudo se sincroniza perfeitamente com as atitudes humanas. Citei as bombas pela teoria exposta nos quadrinhos (A partir desta parte se não leu Watchmen, ou não assistiu o filme, sugiro que não continuem). A teoria de como obter a verdadeira paz, no momento em que o mundo era ameaçado com a Guerra Mundial.
Na “vida real” Hiroshima abraçou uma bomba de 4000 kg chamada “Little Boy” e Fat Man cai em cima de Nagasaki com seus 4545 kg no dia 9 de agosto de 1945 e estas destruíram quase por completo as 2 cidades. (Nestas horas fico pensando que impacto o pacifista Albert Einstein sofreu com estes acontecimentos. E o Projeto Manhattan? Acredito que não tenha sido fácil mesmo para aquele que não acreditava em religião e foi perseguido por Hitler por ser judeu. Além do principal ponto: Por fim a guerra! Não tem como saber se ele sentiu “Reliev or Regret”. So, which “R” do you fell Mrs. Einstein? (à La kill Bill) Impossível imaginar o que se passava.)
Não gosto de recordar e reler sobre estes infelizes acontecimentos por que realmente sinto muito por eles (Não é um sentimento do tipo: "Meus pêsames. Sinto muito" Por que se eu não conhecer a pessoa “profundamente” pronunciar a frase que todos dizem de praxe será uma grande mentira. Lembro que já respondi a isto como: Não, não sente.), este fato histórico está longe da nossa compreensão, e não acredito que um ser humano não “sinta muito” lendo o depoimento de Sumie Kuramoto de 16 anos que presenciou o atentado.
“Nunca esquecerei esse momento. Pouco depois das 8 da manhã, houve um estrondo, uma explosão reverberante e, no mesmo instante, um clarão de luz amarelo-alaranjado entrou pelo vidro do telhado. Ficou tudo tão escuro como noite. Um golpe de vento atirou-me no ar e a seguir no chão, contra as pedras. A dor estava apenas brotando quando o prédio começou a ruir em torno de mim.”
“Aos poucos o ar se aclarou e eu consegui sair dos destroços. No caminho para um dos centros de emergência vi muita confusão. As ruas estavam tão quentes que queimavam meus pés. Casas ardiam, os trilhos de bonde irradiavam uma luz sinistra e no local de um templo pessoas se amontoavam. Algumas respiravam, a maioria estava imóvel. No pronto-socorro chegava gente correndo, as roupas rasgadas, chorando, gritando. Alguns tinham o rosto ensangüentado e inchado, outros tinham a pele queimada caindo aos frangalhos de seus braços e pernas. Em um bonde vi fileiras de esqueletos brancos. Havia também os ossos de pessoas que tentaram fugir. “Hiroxima tinha se tornado num verdadeiro inferno.”
Sei que parece uma grande confusão falar da guerra e de Watchmen. Porém as informações contidas nos quadrinhos nos dão alusão ao que ocorria em 1945. Foi uma forma inteligente de abranger o tema. A teoria usada no HQ seria praticamente a mesma usada em 45. Forçar a paz. O Japão seguiu das cinzas que sobrou, e as pessoas ainda se curvam para cumprimentar. A preocupação a partir da guerra foi em se unir e reconstruir, talvez seja isto o que está faltando no resto do mundo... Se todos tivessem esta mesma força de vontade contra seus problemas pessoais...
Espero que a humanidade não chegue a um nível tão podre ao ponto de me fazer pensar que a solução está em Watchmen rsrsrs (to brincando, não seria tão sarcástica).
Ahh... Para quem não tem acesso aos HQs, ou acha coisa de criança, tem o filme de 2009, feito por Zack Snyder (para alguns fãs o filme foi um lixo, mas sou totalmente contra esta idéia pelo fato de que o diretor queria mais tempo e a amada Warner não liberou, e outra, foi feito o documentário Sob o Capuz que achei maravilhoso! Sob o Capuz foi lançado junto com os quadrinhos de Watchmen, e fala da vida dos heróis na “realidade”, é incrível.
Ops, já ia esquecendo, junto com sob o Capuz tem também Contos do Cargueiro Negro.



Quando li sobre os rumores de que Watchmen sairia em filme pensei: Nossa! Que bom! Mas quem seria o diretor? Disseram que seria Zack Snyder, ai um pouco das minhas esperanças sumiram... Tudo bem, 300 foi perfeitamente filmado (na questão técnica), só que o Frank Miller já tem alguma experiência a respeito de sequencias cinematográficas em quadrinhos... Esperei chegar às locadoras. Aluguei, quando vi aquela abertura, me emocionei. Foi uma das melhores aberturas que já vi! E ainda com a música do Bob Dylan de fundo (The Times They Are a-Changin', não existiria música mais perfeita para embalar as cenas iniciais!)
As referências apresentadas nestas cenas iniciais não eram poucas. Referências e figuras históricas, algumas delas são: Enola Gay (E a famosa Nose Art). A Santa Ceia. O assassinato de John Kennedy. "A ida do homem à lua". O monge budista que morre queimado protestando contra a Guerra do Vietnã. A foto de Alfred Eisenstaedt, de um beijo entre Glenn McDuffie e Edith Shain. David Bowie. Mick Jagger. Village People. Andy Warhol (seu quadro da Marilyn Monroe mas com a face do Coruja). Neste site tem um post com as referências da abertura de Watchmen.



Ahhh, a propósito, eu sou o Rorschach srsrsr (na primeira vez que assistimos, quando acabou eu disse: Eu sou Rorschach! Todos ficaram putos da cara por que queriam ser ele. Haha).
Diário de Rorschach
Assim começa Watchmen:
12 de outubro de 1985.
"Carcaça de um cão morto no beco hoje de manhã com marcas de pneu no ventre rasgado. A cidade tem medo de mim. Eu vi sua verdadeira face. As ruas são sarjetas dilatadas cheias de sangue e, quando os bueiros transbordarem, todos os vermes vão se afogar. A imundice de todo sexo e matanças vai espumar até a cintura e as putas e os políticos vão olhar para cima gritando "salve-nos"... e eu vou olhar para baixo e dizer "não". Eles tiveram escolha, todos. Podiam ter seguido os passos de homens honrados como meu pai ou o presidente Truman. Homens decentes, que acreditavam no suor do trabalho honesto. Mas seguiram os excrementos de devassos e comunistas sem perceber que a trilha levava a um precipício até ser tarde demais. E não me digam que não tiveram escolha. Agora o mundo todo está na beira do abismo contemplando o inferno e os liberais, intelectuais e sedutores de fala macia... de repente não sabem mais o que dizer."

Aqui tá a minha parte favorita dos quadrinhos.
Ahhh... A imagem aumenta =) (Só não aumenta quando estou com preguiça rsrsrs)

Mas é isso, assistam, leiam, procurem por Watchmen e as outras obras de Alan Moore!


PS: 
-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Algumas frases que me marcaram, citadas no HQ:
-Sally Júpiter: Ah é? Pois o mundo é cruel querida, e a chuva cai nos justos e nos injustos...

- Rorschach: É o que acontece conosco? Uma vida de conflitos sem tempo para amigos... e no fim só nossos inimigos deixam rosas (após saber da morte de Edward Morgan Blake)

*Não faria justiça o Juiz de toda a terra? -Gênesis 18: 25 (decisão do Dr Manhattan)

“Não enfrentes monstros sob pena de te tornares um deles, e se contemplas o abismo, a ti o abismo também contempla"(Friedrich Nietzsche, frases inseridas no final de uma edição)

-Sally Jupiter: Laurie, eu estou com 65 anos. A cada dia o futuro parece mais sombrio. Mas o passado, mesmo as piores partes vai ficando cada vez mais brilhante... (Frase perfeita e auto-explicativa à cena)

A piada de Pagliacci, contada por Rorschach:
“Ouvi uma piada uma vez: Um homem vai ao médico, diz que está deprimido. Diz que a vida parece dura e cruel. Conta que se sente só num mundo ameaçador onde o que se anuncia é vago e incerto.
O médico diz: "O tratamento é simples. O grande palhaço Pagliacci está cidade, assista ao espetáculo. Isso deve animá-lo."
O homem se desfaz em lágrimas. E diz: "Mas, doutor... Eu sou o Pagliacci."
Boa piada. Todo mundo ri. Rufam os tambores. Desce o pano.”

Foras as outras referências feitas a Bob Dylan, Elvis Costello, John Cale, Percy Bysshe Shelley, C. G. Jung, Eleanor Farjeon, Einstein, William Blake, Friedrich Nietzsche e a Bíblia (*Gênesis, citada no HQ que fala sobre a traição contra Manhattan).
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6 comentários:

Kassio \\ disse...

Putz Ariana o Post ta perfeito parabens pelo blog

E continua assim !

"Afinal, faz dias que ele não passa aqui em casa pra tomar uns mates"
Rachei rindo ashuahushaushau

Parabens mesmo! se o blog continuar assim nunca mais vai ser preciso eu aparecer na escola!ahsuahsu

Ariana L. Prestes \\ disse...

kkkkkkkkkkkkkk, Don't fail the school!

Nossa, acabei de assistir novamente a abertura. Será que é só eu que sinto esta emoção? (Ou eu sou maluca mesmo rsrsrs)

Obrigada pelo comentário =)

Anônimo \\ disse...

Adorei seu post, mesmo sendo fã da série, admito que não havia tido um pensamento como o seu a respeito de algumas coisas, já tive vários muito malucos, hehe. Você tem a HQ fisicamente? Hoje em dia é praticamente impossível encontrar as originais para venda (as primeiras 6 ou as 12 novas) sem ser reunidas nos ''books'', acho um tanto não-original, e as que você encontra são muito caras mas talvez um dia eu as compre, se encontrá-las. Watchmen é realmente uma série muito fascinante, gostei muito do teu ponto de vista. Um abraço

Ariana L. Prestes \\ disse...

Olá Anônimo =)
Ah, muito obrigada. Acabei ligando rápidamente os fatos: Teoria da paz de Adrian e Dr. Manhattan. Ambos dão uma inteligentíssima alusão ao que ocorria na realidade.
O Projeto Manhattan foi elaborado com a ajuda dos maiores cientistas e físicos da época com intuito de acabar a guerra utilizando bombas atômicas. Albert Einstein estava ligado diretamente com estudos sobre energia nuclear. Então, acredito que Einstein foi vivido por Adrian (mais legal, e com super poderes rsrsr)

Mas sobre os HQs, torço que tu encontre os exemplares. Os meus comprei no Mercado Livre (veio completo), entretanto o preço não é dos mais baratos. Afinal, é Watchmen rsrsrs (Foi considerado marco da evolução dos quadrinhos nos EUA)

(Obs: Não tenho scanner, mas depois posto a imagem de Rorschach visitando o túmulo do Comediante. Ele pega uma flor e coloca na lapela. Tem no filme tb. Umas das minhas cenas favoritas.)

Ariana L. Prestes \\ disse...

Ahh propósito. Muito obrigada pelo comentário!
Abraço!

ricardo \\ disse...

Olá, achei muito massa a linha de pensamento, queria contribuir com alguma coisa mas não lembro de detalhes muito relevantes para uma discussão então fica aqui um link para os hqs em pdf

http://www.4shared.com/folder/zaOL5cVJ/WATCHMEN.html

http://www.mediafire.com/?vlq3a0re0wqus

Até mais

Postar um comentário

Nenhum comentário que contenha fundo preconceituoso será aceito!

Tente, de preferência, não comentar no anonimato :D

Obrigada pela sua opinião =)

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t