O prazer em sentir medo:

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Arte underground, sick ou terror. I like it!


Lézard Noir Suehiro Maruo




Cenas geniais.
Sobre a postagem?  (crianças não olhem... tá avisado!)
Bom, eu sentia uma certa necessidade de postar algo do tipo. Até pelas referências e talvez a escassez de "coisas" boas do gênero aqui discutido. Tem se tornado cada vez mais raro ver filmes, contos e livros sobre terror, suspense e medo em geral... bons ¬¬.
Mas por que essa fixação agora?
Bom, por que depois de ler a frase que Kanako Inuki (autora de quadrinhos e mangás de horror ou melhor: Quadrinhos Kyoufu) que diz:

"Pessoas tendem a buscar excitação para sentir que estão vivos. Pessoas podem ter excitação física em uma montanha russa, o que é uma forma de conseguir isso de uma maneira segura e controlada. O quadrinho de horror dá às pessoas o mesmo tipo de excitação mental em um ambiente igualmente controlado."

concretizei minha idéia.  Ela está certa. E é sobre temas que envolvem este mundo curioso de uma  arte suja, perturbadora e bela, que quero falar aqui e mostrar alguns  dos artistas que mais me chamam atenção e que realmente gosto...  Bom, na realidade tem tanta coisa que eu não posso deixar de mencionar e falar sobre... o tempo vai passando e vou esquecendo. But, porém, contudo e entretanto, aos poucos vou postando algo que talvez vocês gostem ou não O.o
Vamos deixar os mestres ocidentais para outro dia... Gente como Edgar Allan Poe, Stephen King ou Alfred Hitchcock  (tem, mais... mas não quero procurar no Google imagens para conferir se os nomes estão corretos por que vai aparecer aquela guria do Exorcista e eu tenho medo /verdade ¬¬, nunca perdi o medo de olhar para aquele rosto... Ai meu Deus, e os flashes com a cara do demônio que aparece em  quase todo o filme?  Muito assustador, nem quero lembrar. Vai que falta a luz aqui T.T)
Então aqui vai um pouquinho de terror oriental (bem pouquinho ;O)


Suehiro Maruo Atualmente o artista é um importante representante do mangá underground. Nascido em 1956, em Nagasaki (isso explica muito o por que de algumas obras) é sétimo filho de uma família  pobre do interior. Na adolescência esteve metido com pequenos roubos, largou a escola cedo e também já ficou 2 semanas preso após ser pego em uma loja roubando discos do Pink Floyd e do Santana (Bom gosto  musical o do garoto rsrsr).
 Não tendo uma profissão,  resolveu apresentar seu trabalho em quadrinhos para a revista Shonen Jump, mas não obteve resultados positivos, sendo recusado sem maiores explicações. 
Em 80, com 24 anos  finalmente começou a trabalhar como quadrinista, fazendo HQs de terror erótico classe B. Em 1982, publicou pela primeira vez na prestigiada Garo, a mais importante revista da vanguarda dos quadrinhos japoneses. Foi nesse momento que sua vida mudou. A crítica aclamou seu trabalho, que passou a ser cultuado por um público muito amplo, principalmente o feminino. 
Hoje seus livros são publicados no Japão em edições de luxo, e seus originais custam pequenas fortunas no mercado de arte.   
Algumas obras:





Contos da Lua Vaga 
De 1953, é considerado um  dos maiores filmes do cinema Japonês, ganhador do Leão de Prata do mesmo ano. Com uma trama baseada no livro de Ueda Akinari e dirigido por Kenji Mizoguchi. O longa trata de contar relatar a trajetória de um fazendeiro e sua familia,  onde a atmosfera gira em torno de um Japão feudal violento e de guerras sangrentas. A história é voltada pelo desejo do mesmo de ser Samurai e perseguições por fantasmas.
Esse não é tão assustador, mas a história é genial e imperdível!


E Battle Royale, só estes por enquanto (prometo postar mais). Mas estou tentando evitar encontrar videos u.u

Bom, Battle Royale já é meio Pop por aqui, acho que todo mundo já ouviu falar no filme. Mas... não é esse o ponto. O bom de Battle Royale é o mangá e/ou o livro. Ah, não me entendam mal, o filme não ficou muito pra trás (Pudera, dirigido por um dos mais importantes diretores da história do   cinema japonês, Kinji Fukasaku). Mas  como todos sabem, os mangás tem uma liberdade sobrenatural para apresentar alguns assuntos. Horror, violência, medo e muito mais estão misturados nesta história de Koushun Takami. Autor este, que faleceu antes de concluir o projeto Battle Royale II: Requiem  que foi dirigido pelo seu filho,  Kenta Fukasaku (esse eu não assisti) . Vale apena conferir!

Ah, mas um aviso. Procurem a versão original, pois quando o mangá foi lançado nos EUA, a história pareceu um tanto forte, expondo toda uma critica social e política, o que fez com que houvesse a "necessidade" de alteração ou  cortes               (já estamos acostumados...)



Uma curiosidade sobre o filme: Este que chamou a atenção do mundo inteiro, também fez com que ninguém menos que o mestre ops Quentin Tarantino  ficasse empolgado com o trabalho feito nas filmagens. O diretor viajou até o Japão para conhecer Fukasaku durante as cenas de Kill Bill, produzidas na China  e gostou tanto do filme que contratou a atriz Chiaki Kuriyama para interpretar a personagem Gogo Yubari em Kill Bill Vol 1.

É isso pessoal, espero que  tenham gostado! Vou postar mais obras, artistas e referências futuramente, já que todo mundo gosta de sentir um medinho rsrsr
Estou editando outras postagens para publicar^^
Boa noite!

9 comentários:

Anônimo \\ disse...

pqp video sinistro

Zém \\ disse...

Ai, Ariana. Creio que o tal vídeo ficou com tando gagaço que resolveu dar no pé. O infeliz só dá "erro".

Apesar de nada conhecer sobre a arte underground japonesa, gostei do post e ele é uma boa referência.

Um lindo e horripilante post.

jOCAS.

Ariana L. Prestes \\ disse...

@Anônimo Oi. Eu me assustei na primeira vez que vi o.O
Obrigada pelo comentário!


@Zém Ah que pena que deu erro no video ai pra ti. Não que seja algo muito importante, mas achei legal a maneira com que o artista montou as cenas.
Bom, vou ver se encontro do You Tube^^

Ah, tinha muito mais referencias. Mas imagine, eu sozinha... de noite vendo coisa de terror? rsrsrs acabei não tendo coragem de postar os outros. Mas um dia dou seqüencia ^^
Muito obrigada pelo seu comentário! Abraços!

Zém \\ disse...

Yes, Ariana. Agora a coisa funcionou. Como disse no comentário anterior, não conhecia o cara. Muito prazer, Zém. O que mais me chamou a atenção no vídeo foi o traço dele. É fantasticamente expressivo e muitas vezes nos dá a sensação de os personagens serem reais. Bela dica, guria. Vou ficar mais atento pro trabalho dele.

Jinhos grandes;

ψ Psimento ψ \\ disse...

Gostei muito do vídeo. Na verdade a maior parte das pessoas não gosta de sentir medo. Contudo, o medo é uma das emoções básicas de qualquer animal e a maioria das pessoas desconhece que não poderia sobreviver sem medo. Além disso o medo pode sempre vir acompanhado por uma excitação interessante. Quantas pessoas não gostam de um bom filme de terror?
Parabéns pelo blog, gostei muito de o visitar e foi assim mesmo por acaso que o descobri.

Bier \\ disse...

Battle Royale é um clássico! Terror em todos os planos: do psicológico ao físico.

Ariana L. Prestes \\ disse...

@Zém ^^ Fico feliz que tenha te interessado. Claro que talentos deste gênero não existe apenas no oriente, mas preferi começar por partes^^

@ψ Psimento ψ Oi, oi! Seja muito bem vindo!
Tu tem toda a razão em falar desta forma.
Me lembrou uma entrevista que fiz a alguns anos atrás com o delegado da cidade. Bom, a entrevista não era sobre medo nem nada do tipo. Mas por curiosidade e sabendo os riscos da profissão dele acabei perguntando se ele sentiu medo de trabalhar com isso. A resposta dele:
"Claro que sinto medo. E não só sinto, o medo é algo constante na minha rotina. O policial que te dizer que não sente medo é um mentiroso descarado. O medo alerta e altera todos os meus sentidos, me protegendo. Muitas vezes agradeço ao medo por ainda estar aqui."
Não se trata de um filme de terror, mas dá pra ver que não vivemos sem o medo né? Exatamente como tu disse^^
Abraços, volte sempre!

@Bier E ai moço? Adoro Batalha Real, que bom que tu gosta também^^
Obrigada por comentar, abraço!

Brunu [Lord Zedd] \\ disse...

Ariana Ótima postagen =) eu mau conhecia esse estilo de mangás não conhecia nem um autor para falar a verdade. Agora vou procurar ler =) principalmente Battle Royale =:j

Ariana L. Prestes \\ disse...

@Brunu Aff comentei e caiu a internet bem na hora =/

Ai perdão, perdão, perdão! Faz dias que não logo aqui. e hoje fui ver teu comentário aguardando moderação... Foi mal :h

Ahh, olha só, Batalha Real é excelente para quem quer conhecer mais a fundo o gênero. (principalmente o mangá ^^) é bem popular aqui no Brasil e vai ser fácil pra ti achar.

Abraços, obrigada por comentar e mais uma vez desculpa por te deixar esperar tanto.

Postar um comentário

Nenhum comentário que contenha fundo preconceituoso será aceito!

Tente, de preferência, não comentar no anonimato :D

Obrigada pela sua opinião =)

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t