Quando aprendíamos algo com a TV aberta:

terça-feira, 19 de abril de 2011

Pois é people, eu sempre digo que umas das melhores coisas da vida é a nossa fase inicial e formadora de conceitos, a infância.
E eu, como eventualmente venho comentando das minhas nostalgias, coisas que foram parte da infância de muita gente também, posso dizer que trago comigo vários importantes aprendizados nisso tudo. Particularidades que agregaram-se ao caráter e que fui aproveitando ao longo do tempo.
Que seja considerada ínfima e/ou superficial minha fonte, mas umas das grandes influências que tive veio da televisão.

Episódio inspirado em: O Estranho Caso de Dr. Jekyll e Mr.
 Hyde de 1886 escrito por Robert Louis Stevenson.
Eram desenhos ou seriados com temas e assuntos infantis, lógico, mas é inegável que nos propuseram à questão diversos tipos de assuntos, alguns bastante bobos, banais ou verdadeiros: O valor da amizade, tentar voar com aquelas bandejas de pizza, achar que um dia poderia ser um herói (no meu caso a ranger amarela), salvar bichinhos em apuros, fazer experiências químicas com os produtos de beleza das nossas mães, ser guardiã e protetora dos menores, agir de maneira justa... Enfim,  meus caros, foram nos apresentados temas banais e comuns, mas de valor inestimável e que fizeram diferença dentro de cada um de nós.
Não detidos apenas à questões morais, os assuntos dos desenhos que eu assistia (década de 90) também vinham repletos de referências que abrangiam assuntos da cultura e da arte. Eu acredito que o contato com essas coisas nos influí o objeto de interesse, e isso me espanta ao prestar atenção no que rola hoje em dia nestes programas infantis.

Desenhos  tipo Tom e Jerry, Pica Pau... Daquele núcleo Hanna-Barbera, Walt Disney, Walter Lantz (além da inesquecível Manchete, claro). Séries como Mundo de Beakman, Castelo Ra Tim Bum ou Gato Zap e muitos outros programas (clássicos)  usavam e abusavam de referências marcantes e importantes. Vozes, representações irônicas, Óperas, musicais ou até uns tipos de "documentários" tinham intuito de dar brilho à mente dos curiosos com temas e peculiaridades distintas. Isso era muito bacana, era um universo de possibilidades jogado diante dos olhos (Mágico né? Assim sentia).




"O Coelho de Sevilha"
Quem nunca ouviu falar no Barbeiro de Sevilha (o famoso personagem Fígaro)? Até o Seu Madruga cantou certa vez! Ou sobre Os Três Mosqueteiros?  ... Todos sabemos que Moby Dick é uma baleia assassina, e que o Médico e o Monstro são a mesma pessoa ... Sabemos também que  Tíbio e Perônio são os nomes de 2 ossos da perna, e Por que sim, não é a resposta!

Fomos apresentados a "Dom Pixote", Hércules, A Pequena Sereia, Amon Há...  à música erudita, ao cinema, da era medieval e até aos "caipiras" norte americanos, que num ritmo frenético tocavam seus banjos no episódio "Pernalonga e os Caipiras" - Dá-lhe Bluegrass e Folk Music (não tem como esquecer os Yodels*)





Desenhos que retratavam personagens
históricos, já estão em extinção.


Lembro que na minha fase SBT, os desenhos que  gostava passavam justo da hora do jornal... Mas eu era insistente  ou seja, criança que se torna um capeta quando não ganha  que quer então meu pai liberava aquele horário pra eu assistir Pica Pau e os outros da seqüência. Nessa época de descobertas a música caiu como uma luva nas minhas idéias.

El Magnífico do episódio "Mucho Rato": E aqui "Hanna Barbera"
nos lança no mundo da cultura Espanhola, da dança flamenca, touradas
 (que  não pareciam ser tão cruéis como realmente são)
 isso tudo em 1956.






Mas ai entra uma questão importante:  O que nos faz simpatizar com isso? Muitos assistiram e nem ao menos recordam. Outros provavelmente dispõem de um senso natural de aprendizado e refinação sobre o que é artístico e belo.
Os interesses são realmente complicados, porém, não faz com que se perca o valor da ação. Em meio à uma temática diversa, com intuito de instruir e orientar, eu acho importante que os mesmos valores se mantivessem.
A verdade é que somos mais que influenciáveis quando crianças e isso nos ajuda muito a compreender a realidade de certas coisas, principalmente por estarmos dispostos a saber.





Aqui alguns dos episódios que marcaram minha memória.


Momentos Musicais de Chopin - Uma das músicas é: Fantasie Impromptu Op. 66
Aquele cavalo embriagado tentando acender o cigarro me deixava estasiada e fixa na tela, pena que hoje essas coisas não possam  mais serem exibidas, mas o piano de Chopin cala qualquer censura.



Mamma eu quero!
Não tem nem o que falar né? Acho que toda a criança lembra da homenagem à Carmem Miranda no Tom e Jerry.




Concerto na Marra:
Aqui o Pica Pau toca a famosa Rapsódia Húngara #2 de Franz Liszt. Os pensamentos que ele tinha quando estavam em apuros são impagáveis. - Ele está lá, láaaaaaa... E que ladrão burro, ein? Que não distingue a diferença do som de um piano pra uma arpa. Excelente!




Do filme Alô Amigos de 1942  que mostra algumas semelhanças entre o Cowboy Texano e o Gaúcho Argentino...
Antes  disto, eu nem sabia  onde ficava a Argentina (quase do lado da minha cidade), muito menos que lá também haviam "gaúchos" de costumes tão semelhantes ao nossos. ^^



Acredito estar em dívida com a "TV de antigamente". Sei que parece a mesma ladainha, os velhos reclamando dos novos tempos - "Não tem fundamento esse negócio de Justin Bieber e rebolation!", mas não quero ironizar o extremismo aqui. Apenas, como vários que também notam, vejo a TV de uma maneira absurdamente comercial e plastificada. A maioria dos assuntos estão sendo abordados de forma apelativa e superficial. Acabou o ensinamento... Ah, eu dava um dedo pra matar aula e ficar assistindo desenhos.  Como era bom!
É  uma pena que coisas tão simples tenham perdido o valor. Bom, pelo menos há a internet :D

[Update do dia 20.05.15] _ achei um link muito banaca que não existia na época da postagem e que vou aproveitar para deixar aqui, caso vocês se mantenham curiosos quanto ao assunto :DD
Música Clássica nos desenhos animados, A (Parte I)
Música Clássica nos desenhos animados, A (Parte II)

3 comentários:

Bier \\ disse...

Muito bom! Adorei o episódio do gaúcho Pateta! Ou Pateta gaúcho, sei lá. Mas adorei!

Marcelo otsubo \\ disse...

Pica-pau também é cultura!!rss

Ariana L. Prestes \\ disse...

@Marcelo otsubo
Rrsrsrsrs, toda a vida!
obrigada por comentar Marcelo, achei divertido de ver que tu gostou da postagem.
Abraços!

Postar um comentário

Nenhum comentário que contenha fundo preconceituoso será aceito!

Tente, de preferência, não comentar no anonimato :D

Obrigada pela sua opinião =)

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t